22 de ago de 2017

[Resenha] A Guardiã de Histórias

Livro: A Guardiã de Histórias #1
Série: The Archived
Autora: Victoria Schwab
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 322
Gênero: Fantasia
Nota: 3/5
Imagine um lugar onde, como livros, os mortos repousam em prateleiras. Cada corpo tem uma história para contar, uma vida disposta em imagens que apenas os Bibliotecários podem ler. Aqui, os mortos são chamados de Histórias, e o vasto domínio em que eles descansam é o Arquivo. Mackenzie Bishop é uma implacável Guardiã, cuja tarefa é impedir Histórias geralmente violentas de acordar e fugir do Arquivo. Naqueles domínios, os mortos jamais devem ser perturbados, mas alguém parece estar, deliberadamente, alterando Histórias e apagando seus trechos essenciais. A menos que Mac consiga juntar as peças restantes, o próprio Arquivo sofrerá as consequências.

Depois de passar por diversos abandonos ao longo do volume, A Guardiã de Histórias conseguiu me prender e fazer com que pusesse um ponto final nela. Adorei o universo criado, o mistério a ser resolvido e acho que enfim posso falar que gosto da escrita da Victoria Schwab. Ela tem um grande talento para fantasia.

Mackenzie Bishop é uma Guardiã. Ela impede que Histórias — representação de corpos que tem dentro de si as lembranças de quando vivo — fiquem nos Estreitos ou fujam para o "Mundo Externo". Os Estreitos é um espaço entre os Arquivos, local onde as Histórias ficam em prateleiras adormecidas, e o que podemos considerar como o mundo dos vivos. A missão do Guardião é sempre guiar esses "corpos" desgarrados através de um poder de leitura que eles tem, onde podem ver acontecimentos passados por causa do toque em objetos ou paredes e chãos, e de uma chave que abre portas para locais específicos.



Como foi escolhida a seguir esse caminho pelo avô, tudo que sabe e/ou aprendeu veio dos ensinamentos dele. Porém sua morte não tirou todas as dúvidas. Sua personalidade curiosa sempre fez questionar algumas atitudes e verdades desse seu outro lado. E com a sua mudança para um novo local, o Coronado, seu lado investigativo surgirá com mais afinco: seu quarto tem uma História grande de Assassinato. Mexendo não só com o passado do local, mas também com as Histórias do Arquivo, Mac verá que o assunto é maior que uma mera morte, e talvez tenha encontrado algo que não devia.

A obra tem um enredo que pode ser muito explorado. Gosto bastante dessa alusão de histórias sendo acordadas, sendo corpos, fazendo um mistério em torno. A autora sabe conduzir e levar o leitor de maneira satisfatória naquilo que construiu. Não senti falta de explicações ou informações para que pudéssemos entender onde estaríamos entrando. Claro que terão coisas que serão omitidas para que nos aguce a curiosidade de tentar entender e descobrir afinal é um artifício usado no gênero.

"— Lutar não é uma questão de usar sua força, Kenzie, mas de usar a das Histórias. Elas sempre serão mais fortes. A dor não se mantém, então não dá para machucá-las, não de verdade. Elas não sangram e, se você matá-las, não ficam mortas. Morrem e voltam. Você morre e não volta." pág. 82

O que me incomodou um pouco é perceber talvez o óbvio caminho que iria ser tomado. Não tinha ideia das justificativas ou detalhadamente o que poderia viria a calhar, porém foi notório e fácil desvendar quem teríamos como "vilão" no mundo criado. Por ser o primeiro de uma série, talvez as surpresas e os plots twist apareçam mais para frente entretanto, temos uma barreira inicial grande com relação a introdução pois demoramos a captar e absorver o que é passado, e tendo um desenvolvimento que pode-se classificar como instigante e curioso chegar no final e ver algo esperado?! Victoria arriscou e comigo não funcionou. Fora o dito cujo final que fiquei confusa.

Os personagens tiveram pequenas falhas na construção. Mac é uma menina que tem tudo para crescer, e acredito que ocorra, se fizermos evoluir algumas das suas características. A repetição de um certo assunto pessoal se tornou chato por diversos momentos visto que sabemos desde o início qual é seu sofrimento. Wesley Ayers — um personagem que terá papel fundamental aqui e será amigo da nossa protagonista — que também tinha tudo para ser desmembrado, foi apagado com o que lhe coube nas últimas páginas. Na realidade nem sei o que esperar daqui para frente com o que lhe foi feito.



De forma geral, gosto do que podemos esperar. Faltou detalhes que me aborreceu ao longo da narrativa, contudo que tem como ser consertado mais para frente e que refletiu em uma nota "baixa" para o exemplar. A ideia e proposta são ótimas, só que na prática é que não funcionou muito bem. Vamos ver nos sucessores.

Na parte física, não sei nem o que dizer dessa capa. Considero uma das mais feias da estante — sério gente, não dá para engolir —  e quando se compara com a americana, a vontade de chorar é maior. Demorei a captar, mas a editora usou o recurso de modificação de texto para fazer o paralelo de cenas no passado ou no presente — as cenas no passado estão em negrito, e as do presente sem negrito — o que de alguma forma é legal elaborado na diagramação. Revisão está correta, nada demais, e a narrativa é feita em primeira pessoa.

"Quatro anos em serviço e o Arquivo ainda é cheio de segredos — alguns grandes, como as alterações; alguns pequenos, como este. Quando mais aprendo, mais percebo como sei pouco e me questiono sobre as coisas que já me disseram. As regras que me ensinaram." pág. 164 

Quero ler o próximo mais pela fantasia criada, e as novidades que poderão surgir, do que sobre o que vai acontecer com os protagonistas. Até onde sei, não há previsão de lançamento, e por isso teremos que esperar. Não será uma das minhas prioridades. Para um primeiro contato com a escrita da Victoria Schwab, valeu a pena. Que venha as próximas séries. 

E vocês, já leram A Guardiã de Histórias? Algo da Victoria Schwab? Deixa nos comentários! 

17 comentários :

  1. Olá!
    Nunca li nada da autora e na verdade até hoje nem tinha ouvido falar rs
    A sua resenha tá maravilhosa bem explicadinha, lendo a sinopse esperava que fosse AQUELE livro de fantasia e entendi que não é. rs
    Acho que nem vou anotar!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana tudo bem?
    Adorei a comparação feita com livros e mortos, soube me cativar e conquistar desde o início da sua resenha, sei que para mim seria uma ótima pedida, essa capa está maravilhosa e ainda mais cheio de suspense.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana, não conhecia esta série, e dependendo de como foi desenvolvido a ideia, é chato mesmo quando tudo se encaminha como imaginamos. Mas isso vai de cada um, eu teria que ler e opinar melhor sobre isso, pois já aconteceu de eu adivinhar tudo e ainda assim adorar, e o contrário também já aconteceu.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ana! Tudo bem?
    Eu já tinha visto esse livro em sites e até fiquei curiosa pela história. Mas sua resenha mostrou algumas ressalvas que me incomodariam se eu lesse, então acho que vou dar mais um tempo para essa leitura. Como você, não farei dela prioridade.
    Bjos!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  5. Não achei a capa tão feia assim... hahahahaha. Mas é uma questão de gosto. Pena que o livro não te convenceu e até te irritou em alguns momentos. Quando isso acontece comigo eu normalmente dou uma segunda chance para o livro em um outro período da vida para ter certeza. Ás vezes não é o livro que deixa a desejar, mas a gente que não está no momento certo para ler! Bjos

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Ahh vou concordar com você, essa capa ficou bem feia mesmo. Mas não conheço a série então não sei se tem algo a ver dentro da trama.
    Não sou muito de ler tantas aventuras assim, mas tenho tentado me aventurar mais e quero conhecer a escrita da autora.
    Espero conseguir fazer em breve.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?

    Não conheço nada dessa autora, e nem sabia dessa obra. E pela sua resenha, já to dispensando a leitura por motivos óbvios: Não é meu gênero favorito, e esse enredo não me agradou em nada.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi.
    Cara que viagem, nunca vi uma premissa parecida com essa, mortos guardados como livros, achei gótico, muito legal.
    Sabe o que desanima, aquele #1 lá no início dizendo que vão ter 500 continuações, que vai esticar a história até ela parar de ser legal e ter um final vista, e isso é ainda mais fácil de acontecer quando os protagonistas não cativam. É uma pena.
    Desabafos a parte, valeu pela dica.

    ResponderExcluir
  9. Oiii!

    Não cheguei a ler essa obra, e fiquei chateada em ver que é uma obra com bastante falhas, isso é bem triste na realidade. Mas eu acho que pode melhorar no próximo (esperança sempre, né?)
    Gostei da sua sinceridade!

    Beijnhos

    ResponderExcluir
  10. Primeiro parabéns pela escrita. Escrever bem, com o português afiado é o mínimo que esperamos quando vamos ler resenhas hehehe adorei seu blog.

    Esse livro parece ser muito interessante, e esse tipo de mitologia me lembra Neil Gaiman e um pouco de Game of Thrones (the girl is no one)

    Uma pena que você relatou que tem alguns furos dentro da história :( mas vou anotar a dica para conferir futuramente.

    Um grande beijo

    ResponderExcluir
  11. Sério? eu achei a capa tão bonitinha!! <3
    Eu estou enrolando horrores para ler ele. Lembro de conhecer ele num mochilão da record e ficar apaixonada pela história.
    Só que muitas pessoas falam que ele não é muito legal, ou meio chato, arrastado, essas coisas. Aí desanimei um pouco...
    Obrigado pela dica e seu ponto de vista da leitura!

    Beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  12. Oie!

    Guria eu amei essa capa, muito linda! Diferente de você que não gostou kkk Sobre a história eu amo uma boa fantasia, e essa parece ser muito boa, principalmente por ser bem diferente do que venho encontrando hoje em dia nos livros, então com certeza futuramente darei uma chance a obra!

    Bjss, vem participar do nosso Sorteio do Desapego, serão 3 Ganhadores! Não perca essa oportunidade!
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2017/08/sorteio-do-desapego-3-ganhadores.html

    ResponderExcluir
  13. Olá tudo bem?
    Uma pena que a obra não atingiu suas expectativas e que o começo foi um pouco confuso em relação ao que era passado e presente. Eu achei a premissa interessante, entretanto não leria a obra, pois estou dando um tempo no gênero fantasia por enquanto.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  14. Oie, tudo bem?
    Ahhh, eu gostei tanto dessa capa <3 Eu li esse livro ano passado e gostei bastante da leitura. É um livro bem jovem, com personagens adolescentes e dramáticos, mas a fantasia presente na obra é incrível, o mistério também. Também me senti incomodada com as repetições. Espero ver no segundo livro os personagens mais maduros e a trama focando mais no mistério e suspense, deixando o romance mais de lado ;D

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Heey!
    Essa capa vem me instigando desde o lançamento. Eu acho uma capa perfeita! Acompanhei o lançamento e depois a vontade passou. Agora vendo como você falou, já estou aqui me corroendo para lê-lo, mesmo com seus pontos de incomodo.
    Ótima resenha.
    www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Gosto da premissa do livro e quero ler apesar das falhas na construção de personagens entre outros pontos que vocÊ citou.
    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Olá! Ao contrário de você, achei a capa interessante, no estilo "menos é mais". Fantasia definitivamente não é meu estilo favorito, mas confesso que esse gancho de as histórias terem corpo (literalmente) me deixou curiosa. Que pena os personagens não serem tão bem construídos, espero que isso melhore no próximo volume.
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir