1 de abr de 2017

[Resenha] Procura-se Um Marido

Livro: Procura-se Um Marido
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus Editora
Páginas: 472
Gênero: Romance
Nota: 3.5/5

Alicia sabe curtir a vida. Já viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável e sua única família. Após a morte do avô, ela vê sua vida ruir com a abertura do testamento. Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império a não ser, é claro, que esteja devidamente casada. Alicia se recusa a casar, está muito bem solteira e assim pretende permanecer. Então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso, colocando um anúncio no jornal em busca de um marido de aluguel. Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou. Cheio de humor, aventura, paixão e emoções intensas, Procura-se um marido vai fisgar você até a última linha.

Carina sempre terá uma escrita que te faça ler o livro sem perceber, virar as páginas querendo cada vez mais a história, porém apesar de amar a série Perdida, amar tudo que a autora criou na sua primeira publicação, Procura-se Um Marido não funcionou da maneira que eu esperava.

Alicia é uma mulher de 24 anos que tem uma vida fácil. Seu avô, Narciso, é um homem bastante rico dono de uma empresa de cosméticos. Sem precisar de grande esforço para conseguir as coisas, Alicia toma um baque quando recebe a notícia da morte do seu único parente vivo e coisas piores ainda estavam por vir. Seu avô cansado das suas irresponsabilidades incompatíveis com a idade dela, resolve fazer um testamento onde sua neta só será capaz de ter a herança dele quando casar-se e mantiver o casamento por um ano.

Ela no momento não quer juntar alianças e passa longe de querer um relacionamento. Entretanto, deixada sem dinheiro, ela não tem ideia do que fazer para conseguir sobreviver. E é tentando manter sua antiga vida, que uma ideia brota de burlar o testamento. Max irá surgir nessa estratégia. Um casamento também irá surgir. E de uma ideia maluca, o amor de um casal vai florescer.



É bem complicado você resenhar um livro em que simplesmente a história não funcionou com você porque tudo que acontece não é ruim, não é uma coisa sem graça, chata ou massante. A situação é que a narrativa caiu em um clichê que não funciona mais comigo.

Alicia e Max são dois personagens que você ou ama ou odeia. Eles tem personalidades bem opostas um do outro, fazendo com que logo no início você veja bastantes brigas e desentendimentos. Confesso que dentro do romance estou bem saturada desse tipo de casal. O Max em vários momentos fez a leitura valer a pena, só que a Alicia com algumas atitudes bem pontuais me chateou em diversos momentos. Pela idade dela, ela devia ter sido trabalhada de uma maneira melhor ou não sei, talvez essa tenha sido a intenção da Carina ao criá-la. Comigo, não funcionou.

E também temos a questão de um pequeno mistério rondando a herança do vô Narciso relacionado com o testamento e tudo mais. Praticamente na segunda fala da pessoa culpada já tinha ideia do que provavelmente seria e o que ocorreria. Talvez tenha sido esse ponto que fez a leitura decair dali em diante. Saber ou imaginar como a história irá encaminhar estraga bastante as surpresas das obras. Comigo é determinante entre falar que gostei ou não.

" — Eu achava que sabia o que era amar. Então você apareceu, transformou minha vida num inferno e fez minhas convicções e certezas ruírem. " pág. 370 

Por isso que eu falo, e repito, que talvez a leitura possa funcionar para outros leitores. Tanto que só vejo elogios rasgados para o exemplar. Contudo, na minha opinão não funcionou na maneira que devia. O desenvolvimento é ótimo, o romance em si e o casal são apaixonantes quando juntos, a formulação dos acontecimentos também, mas essa pequena questão do plot fez tudo mudar.

A família do Max são pessoas que aparecem e fazem tudo acontecer. Adorei demais as cenas onde eles estavam presentes, além de ser gargalhadas na certa com o irmão dele, o Marcus. Fiquei bem feliz em saber que Mentira Perfeita é com ele. Tem também a Mariana, outra que quando aparecia, além de risadas, você sentia a cumplicidade dela com a Alicia. Vamos conhecer um pouco mais sobre ela aqui, no entanto queria muito que tivesse somente um volume para a vida dela.

Quando vi essa capa parecida com Perdida, me perguntava qual o motivo da escolha, afinal todas as capas dos livros da Carina são mulheres com vestidos brancos. E em um bate-papo que participei, ela falou que a escolha foi pela questão de virar uma marca pessoal dela mesmo. Achei a ideia fantástica e a medida que fui virando as páginas, aceitei de bom agrado.



Aviso de antemão que as características da Alícia não tem muito a ver com a mulher da capa, todavia dá para relevar por causa dessa questão de marca pessoal. Fora isso na parte física a edição está impecável, revisão sem nenhum erro aparente e a diagramação simples da editora mas que é agradável aos olhos.

Com certeza não vou me afastar de ler Mentira Perfeita ou outra obra do gênero, só acho que não foi o momento certo de pegar a obra. A escritora ainda é uma das minhas favoritos nacionais e quem sabe eu dê mais uma chance futuramente para Procura-se Um Marido?! Vamos ver se mudo de opinião.

E vocês, já leram algo da Carina Rissi? Querem ler? Deixa nos comentários!

15 comentários :

  1. Olá,

    Esse foi o primeiro e único livro que li da Carina. Eu gostei bastante da história e como você mesma disse, ela tem uma escrita muito fluída, que nem notei o tempo passar. Eu adorei o Max e me diverti com o jeito doidinho da Alicia. Realmente, o mistério em torno do testamento foi bem fraquinho mesmo. Porém, foi uma história que me cativou.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carol!
    Adoro os livros da Carina Rissi e com esse não foi difícil não se apaixonar.
    Uma pena essa leitura não ter funcionado para você. Acho que deve ter sido o momento ou você mesma já passou dessa fase de livros com histórias bem clichês. Bom, estou bem curiosa com "Mentira Perfeita". Espero gostar. ^^
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Eu li apenas um conto da Carina Rissi e gostei de mais do que eu li. Pretendo ler Perdida e também esse livro aí, pois quase sempre leio ótimas críticas sobre a mesmas. Uma pena você não ter lido no momento certo. Até mais ver

    ResponderExcluir
  4. Olá, da autora eu já li "No mundo da Luna" e confesso que não virei fã dela, mas pretendo ler outros livros dela, inclusive Procura-se um marido (mesmo com suas ressalvas). Quem sabe eu goste mais, né?!

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    O único livro da Rissi que eu li foi Perdida para uma desafio e eu achei bem mediano. É uma leitura leve como você diz sobre esse, mas acho que as tematicas não são pra mim. Eu não consigo me envolver por esse tipo de drama e acabo lendo mais devagar, mas ja vi muitas resenhas sobre esse e o quao o pessoal gostou dele.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu gosto dos livros da Carina. Eles me divertem, me ajudam a relaxar, mesmo eu me estressando com algumas atitudes pontuais de personagens. Neste livro, amei muito mais o Max que a Alicia. Aliás, eu adoro a família Cassani inteira - é um DNA que não deve ser desperdiçado. Mas há histórias assim mesmo que funcionam melhor com uma pessoa que com outras. Vida que segue! Boas futuras leituras para você! Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Ah eu já achei o livro clichê só de olhar o título. rsrs
    Mas eu gostei muito de ler a sua resenha porque a forma como você coloca suas impressões é de uma forma admirável. Porque é carregada de respeito ao processo criativo do autor. Isso é muito humano! Isso é muito lindo! Parabéns!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  8. Esse livro faz um grande sucesso hein Ana, com toda certeza adoraria ter a oportunidade de realizar a leitura, sua resenha ficou ótima e com toda certeza pretendo ler.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Oioi.
    Da Carina só li Perdida e adorei, e fiquei super empolgada pra ler outros livros da autora. Mas depois das ressalva de procura-se um marido, já sei que vou deixá-lo por último.
    Não me importo com os clichês desde que sejam trabalhados com um diferencial pra que justamente não se torne maçante. E protagonista com atitudes que não condizem com a idade também não consigo engolir.
    Ótima resenha.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  10. Olá, apesar de ser um dos primeiros romances da Carina, não deixa de ter sua marca, um bom romance com uma boa pitada de humor, apesar de ser curtinho o livro é bem direto e isso me agradou muito!

    bJS

    ResponderExcluir
  11. Olá,

    Infelizmente esse é um dos únicos livros dá autora que eu não curti, mas os demais eu gosto muito.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    eu adoro um clichê, mas confesso que até a pagina 100 a leitura foi mega arrastada rs' eu adoro a escrita da Carina e isso me incomodou bastante nesse livro, mas depois da página 100 as coisas começaram a fluir, e a Alice começou a crescer. Max é um amor e sua família maravilhosa, dei algumas risadas com essa história, mas não foi aquele livro sabe?

    beijos!
    http://blogdatahis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Que pena que não funcionou pra você. É horrível quando pegamos uma história assim, que nos satura. Eu li Perdida, e amei demais! Mas foi meu único contato com a escrita da Carina. Pretendo ler o resto da série. Espero que as próximas leituras dela, sejam melhores pra você.

    Beijinhos.
    Jaque - Meus Livros, Meu Mundo

    ResponderExcluir
  14. Já tentei ler alguns livros dessa autora, mas varia muiyo o meu gostar. Alguns eu acho ótimos, outros simplesmente não consigo engolir. Acho que é coisa de "fase", como você mesma comentou.

    ResponderExcluir