4 de mar de 2017

[Resenha] Flor de Cerejeira

Livro: Flor de Cerejeira
Autora: Alana Gabriela
Páginas: 315
Gênero: Romance
Nota: 2/5
Onde comprar: Amazon
*e-book cedido pela autora*
Sinopse: “Qualquer um pode cometer um erro.”Yoko tinha uma vida relativamente boa e estável. Participava da organização do Festival Cherry Blossom todos os anos, tinha amigos na escola, tocava violino e estava treinando para fazer parte da orquestra da Juventude de Macon quando tudo começou a dar errado. Seu pai causou um grave acidente e foi parar na prisão. Em meio à dor da ausência, Yoko conhece Aidan Hirsch, um garoto que parece tão desestruturado, taciturno e solitário quanto ela, e que é capaz, acima de tudo, de não julgar, simplesmente ouvir. Aos poucos, um sentimento singelo e inefável ganha forma, surgindo uma história delicada de autoconhecimento, arrependimento, culpa e superação que poderá mudar a vida desses adolescentes se assim escolherem.

O livro retrata a mudança de vida que Yoko sofre após a prisão do pai. Embriagado, ele acaba atropelando gravemente uma pessoa e ao negar socorro, a morte iminente do acidentado muda completamente tudo que a jovem conhecia. Agora ela é uma pária, julgada pelo crime do pai e renegada por todos que antes se diziam seus amigos. Polícia, igreja, vizinhos, sociedade, ninguém a enxerga mais como um ser humano.


Ela é um grande lembrete do erro. Até que Aidan entra em sua vida. Aidan parece ser o reflexo e o rumo que a vida de Yoko tomará no futuro. Ela passa longos momentos tentando entender como ele consegue ignorar os comentários maldosos e todo o desprezo que as pessoas parecem direcionar a ele depois da "grande briga".

No geral, o livro tem uma ambientação muito forte. Demonstrar que quando você comete um crime, seja por acidente ou por querer, nunca é apenas o criminoso que fica manchado. A mancha se estende a todos que estão relacionados e, mesmo tentando-se ignorar, essa mancha vai te perseguir. Os questionamentos de Yoko quanto à índole do pai depois de algum tempo sofrendo são muito coerentes. 




É um Young Adult com todos os ingredientes para o sucesso. Temos a mocinha indefesa e que sofre calada, o bad boy protetor e misterioso e a sociedade contra os dois, somados a isso, o drama familiar que desencadeia todo o envolvimento dos dois. Rivais e amigos se misturam em cenas que trazem um pouco de comicidade ao que fica meio borocochô da trama. Rebecca pode ser o elo fraco, mas foi o que salvou algumas cenas. 

Outro ponto alto são as referências a cultura japonesa. A começar pelo título. A flor de cerejeira representa a fragilidade da vida, como a vida é curta, mas que ainda assim merece ser apreciada. Era também muito apreciada pelos samurais, os guerreiros. Logo, associei que mesmo sendo frágil, vivendo uma vida de bosta, a Yoko é uma guerreira. Ela sobrevive ao caos da curta vida que viveu e consegue retirar algo de bom dela.




Então se vocês já leram outras histórias de Alana Gabriela, contem nos comentários o que acharam. Beijinhos, e até a próxima. 

27 comentários :

  1. Olá, fiquei curiosa para entender a avaliação que o livro teve. Eu já havia visto alguns comentários bem positivos sobre Flor de Cerejeira. É uma leitura que eu tenho vontade de fazer. E é muito bonita essa capa.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Olha que coisa engraçada, as flores da capa eram o fundo de tela do meu tablet até quatro dias atrás. Agora é uma orquídea rara!

    Enfim, apesar de ser uma obra bem construída e de sua resenha ter destacado os pontos altos do livro eu tenho uma grande resistência com young adult, ou como prefiro: livros para adolescentes.

    A história em si é algo que eu gosto, mas é dramático demais, adolescente demais.

    bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse realmente é uma trava na leitura. Não é meu ponto forte, mas a protagonista ajudou um pouco a superar esse problema. Beijinhos :3

      Excluir
  3. Olá Juliana, estou lendo esse livro no momento e estou adorando. Bjokas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fran. Terminou a leitura? O que você achou?

      Excluir
  4. Uma tremenda idiotice culpar a filha pelo erro do pai. Que tristeza isso. Precisa mesmo ter uma personalidade para passar por isso.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, é verdade. Mas é o pensamento que nossa sociedade prega né? Muito guerreira ela!!!! Por isso não desisti da leitura!

      Excluir
  5. Uau! Me pareceu uma história muito forte! Fiquei super interessada de verdade! E olha que eu já tinha lido algo sobre ele mas não me interessou tanto quanto agora. Parabéns pela resenha super bem escrita!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Eli. Espero que tenha tido a oportunidade de ler!!! beijinhos :3

      Excluir
  6. Já ouvi falar sobre esse livro. Achei interessante a premissa. Não me recordo de ter lido alguma resenha dele antes mas gostei bastante dá sua. Irei colocar na lista para fazer minha própria conclusão. Parabéns.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conta pra gente depois que ler, Karine!! Beijinhos :3

      Excluir
  7. Oiiii,

    Essa resenha também vai sair logo logo no meu blog.
    Muito linda essa capa né?
    Adorei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Achei a capa linda e a premissa me interessou. Adoro YA e este parece ser ótimo.
    Fiquei curiosa para conhecer a história e saber como termina, e também o envolvimento de Yoko e Aidan.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Oi, eu estou louca para ler essa obra da Alana, pois ao conferir "Efeito Dominó", me surpreendi com sua escrita e logo fiquei curiosa para ler todo o resto. Mesmo com a pontuação um tanto baixa, eu gostei da resenha e dos pontos levantados, principalmente envolvendo uma cultura totalmente nova para mim.

    ResponderExcluir
  10. Gostei bastante da capa, mas confesso que só por ela eu não conseguiria imaginar que a história pudesse ser tão interessante.

    Fiquei empolgada com a possibilidade de conhecer essa história mais a fundo e suas referências com a cultura asiática, que por sinal eu conheço basicamente nada hehehe

    ResponderExcluir
  11. Olá! Nossa, que história! Imagino como deve ser difícil conviver com tudo isso. Te confesso que me interessei pela história, parece ser bem forte e emocionante. Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia a autora nem a obra. Apesar de não gostar de histórias muito dramáticas, achei bem interessante a proposta e a abordagem da autora. Vou anotar para conferir depois. Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Olá, não conhecia o livro mas ele me chamou muito a atenção começando pela capa lindíssima. A história parece ser muito envolvente e adoro essas pegada culturais, torna o enredo mais real! Adorei a resenha!

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Suzane. A ambientação cultural é fundamental pra entrarmos na realidade do personagem. Pelo menos eu gosto kkkkkkkkk
      Beijinhos!!!

      Excluir
  14. Olá, poxa, não conhecia a autora, mas além da capa linda essa história dramática me comoveu e me deixou bem curiosa para me aprofundar nela. Vlw a dica. Bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá, não conhecia a obra, nem sua autora. Gostei da dica e da resenha, vou procurar saber mais.

    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Olá!!! A história parece ser bem interessante. Ainda não conhecia. Muito boa sua resenha. Com certeza, vou anotar a indicação !!! bjo

    ResponderExcluir
  17. Algo nesse mundo está muito errado, né, como pode o crime do pai ter todo esse efeito sobre ela e prejudicá-la em todas as esferas da vida? Se bem que não é uma grande perda gente assim se afastar pra dar espaço para pessoas mais humanas e solidárias. Mesmo que você não tenha dado uma boa nota ao livro, ele ainda chama minha atenção e vou querer ler.

    ResponderExcluir
  18. Oiii Ana, tudo bem?
    Que coisa mais incrível esse livro, espero poder ler com toda certeza, a edição está um luxo e até agora só li comentários positivos a respeito dessa obra, dica anotada.
    Abraços

    ResponderExcluir
  19. Olá!!
    Que capa linda!!
    Banal Girl
    www.the-banal-girl.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Nossa, não conhecia esse livro...

    que pesado, o pai fazer a burrada e a menina arcar com essa consequências né....pior é que nunca pensamos, mas deve ser assim mesmo. Um caso desse deve trazer consequências e deixar cicatrizes em todos os que rodeiam a família...

    ótima dica!!!!!

    bjs

    ResponderExcluir