30 de jun de 2016

Resenha - A Garota do Calendário, Janeiro

Livro: A Garota do Calendário, Janeiro #1
Série: Garota do Calendário
Autora: Audrey Carlan
Editora: Verus
Páginas: 144
Gênero: Erótico/Romance
Sinopse: "Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil.  Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser...  Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele."

Me surpreendi positivamente com a história. Mia é uma mulher que está enfrentando problemas familiares. Seu pai, um cara alcoólatra tem uma dívida enorme com um ex-namorado e está em coma. Resta a Mia a pagar essa dívida de maneira rápida, tendo como única escolha ser Acompanhante de Luxo.

Foi uma bela surpresa conhecer esse erótico. Mia é uma mulher de personalidade forte, mas que também sabe quais são defeitos. É uma garota que teve que amadurecer cedo, teve que criar sua irmã mais nova e nem por isso reclama da vida. Tem seu pai com sua doença apoiado nas suas costas, porém nunca fugiu do compromisso. Só por isso já comecei gostar dela. E quando ela entra nesse mundo de acompanhante de cabeça aberta, sujeito a tudo aquilo que pode ser envolvida, ela me ganhou de vez.

Acho que além de um erótico, essa série nos traz na realidade de onde o ser humano pode chegar para sobreviver. Porque querendo ou não é por isso que nossa protagonista entrou para esse mundo, para que ela, sua irmã e seu pai não morram. E o legal é ver também o quanto ela se surpreende nesse meio.

Nesse primeiro livro, seu cliente é o Wes, um roteirista, badalado, moderno, que surfa, tem uma casa belíssima e que a contrata apenas para "espantar" possíveis mulheres que queiram namorar, casar ou atrapalhar sua carreira. De personalidade carismática, tinha tudo para os dois darem certo, e deram. A química dos personagens é perfeita logo de primeira, e vemos além de um favorecimento de ambos os lados, uma amizade sendo formada. E quando você pensa, já está torcendo para se tornarem um casal.

" Eu não era uma donzela em perigo e ele não era um príncipe num cavalo branco, tentando salvar o dia. Contos de fadas não existem, especialmente para garotas de Las Vegas com um caminhão de bagagem." pág. 110

A escolha do final, achei acertada para o universo que a Audrey criou e que me foi satisfatório. Como cada livro conta um mês diferente, com um cliente diferente, também temos a introdução do próximo personagem e o primeiro capítulo.

Confesso que quando a Verus iniciou a publicidade desse livro, fiquei com receio apesar de ele ter sido bem popular lá fora. Primeiro que achava essa divisão dos livros por meses ruins por serem curtinhos demais e que isso teria acontecido visando apenas lucro. Hoje eu vejo que encaixa na história e foi acertada. Outra que, história de acompanhante de luxo? Não é uma novidade no gênero, mas também não é algo diferencial. Eu queria ver como a autora iria encaixar a história sem fazer tudo ser só sexo. Outra seria como nossa protagonista iria lidar com seus sentimentos e os caras que estão ao seu redor sem parecer repetitivo e chato. Com a Garota do Calendário Janeiro alguma dessas perguntas foram respondidas positivamente. Adorei a postura que a autora deixou na Mia e até mesmo no Wes e que foi fundamental para eu decidir que vou continuar na série. 

Gostei bastante do livro e já estou ansiosa para o segundo. Falando dos aspectos físicos, a capa foi escolhida através de votos na páginas e achei bem acertada. Poderiam talvez ter relacionado a cor da capa com algum vestido usado durante o mês referente, mas mesmo assim se encaixa dentro do conceito. É narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista da personagem e é fluida. Imagino que consiga ser lido em um dia. A ideia também de lançarem 2 livros por meses foi ótima, pois como já falei são curtinhos e a demora para lançamentos de séries as vezes é prejudicial. Ainda como essa, que serão 12 livros. Ou seja, nesse mês de Junho temos no mercado o dos meses de Janeiro e Fevereiro.

E vocês, gostariam de ler A Garota do Calendário? Deixa nos comentários (;

29 de jun de 2016

Maratona Literária de Inverno 2016 - #MLI2016

O Victor Almeida do Geek Freak todo ano faz uma super Maratona Literária de Inverno, em que durante 1 mês inteiro é proposto ler mais livros do que de costume e para se divertir, ter mais interações temos semanas temáticas. Esse ano, resolvi participar e também aderir nas temáticas \o/ A maratona vai do dia 03 de Julho até dia 31 de Julho. Para saber mais as informações é só acessar o vídeo do Victor que ele explica mais detalhadamente. Aqui eu mostro pra vocês minha lista de livros para ler durante esse tempo, de acordo com a semana. Vamos lá?

Semana 1. Livros Encalhados 

"Aqueles livros que estão há muito tempo na sua estantes parados, ou que estejam já há 1 ano na sua estante sem ser lido"
Como uma das metas minha esse ano foi desencalhar livros da minha estante, tenho poucos livros não lido com mais de 1 ano. Porém, não trabalhando a meu favor, esses livros encalhados são de séries e por isso só irei colocar 2 nessa minha TBR. Se eu conseguir bater a meta pretendo ler os outros da série. Os livros escolhidos são: Instrumentos Mortais, Cidade dos Anjos Caídos da Cassandra Clare e Halo da Alexandra Adornetto.

Semana 2. Livros Hype

"Aqueles livros que recebeu uma grande quantidade de promoção, que todo mundo está falando, que é amado por todos, ou seja hypado."
E aqui não tinha como não colocar Percy Jackson e o Ladrão de Raios do Rick Riordan. Já tenho todos os livros comprado e era uma meta minha esse ano ler essa série. Conseguindo encaixar nas férias e na TBR foi lucro. Fora que ele é mega, hiper, super, master hypado há tempos. Vergonha alheia de ainda não ter lido. E o outro escolhido foi A Lâmina da Assassina da Sarah J. Maas já que também quero iniciar essa série que todo mundo ama, todo mundo fala e indica. Mais uma vez irei colocar só 2 livros porque se sobrar tempo, quero dar continuidade nas séries mencionadas. Um adendo é que não li o primeiro de Trono de Vidro ainda, mas me indicaram ler antes o spin-off para ter uma visão diferente da história. Então irei seguir essa indicação.

Semana 3. Livros Outros Mundos

"Livros que se passam em outros universos, outros planetas, ou outras realidades que não sejam a nossa"
Pra essa semana escolhi A Corrida de Escorpião da Maggie Sitefvater já que estou doida querendo ler esse livro faz tempo. O outro vai ser Champion da Marie Lu porque quero terminar a trilogia Legend. E quem sabe conseguir começar Jovens de Elite da mesma autora já que muita gente está falando bem demais dele. Foi uma semana complicada de se escolher já que aqui entra muita fantasia e eu sou doida por esse gênero.

Semana 4. Livros Diversidade

"Livros e personagens que representam ou tenham elementos de outra cultura, etnia ou costumes"
Confesso que esses foi um dos mais difíceis de escolher pois devo ter 1 ou 2 livros que se encaixam nesse tema. Por enquanto pretendo incluir onde eu parar de Instrumentos Mortais já que Malec é o shipper da vida dos livros. E querendo burlar um pouco o tema, colocarei livros de época também nessa semana, então também tentarei ler Ligeiramente Maliciosos da Mary Balgoh e Entre a Ruína e a Paixão da Sarah Maclean.

Esses serão os livros da minha #MLI2016 e espero conseguir cumprir tudo. Coloquei ao todo 9 livros que está sendo minha média de leitura por mês e se sobrar, espero incluir mais 3 ou 4 livros. Bem é isso, espero que tenham gostado da minha TBR.
E vocês, vão participar da #MLI2016? Se sim deixa nos comentários com quais livros vocês querem ler (;

28 de jun de 2016

[Lançamento Junho] Editora Gente e Única

Venham conhecer os lançamentos de Junho da Editora Gente e seu selo Única.



Título: Motivos para sorrir – Tudo e mais um pouco sobre a família mais divertida do YouTube
Autor: Manoela Antelo e Luan Novitt
Selo: Única
ISBN: 978-85-67028-92-7 
Formato: 14 x 21 cm
Páginas: 128
Gênero: Não-ficção/Autobiografia
Lançamento: Junho de 2016
Preço de capa: R$ 29,90

Sinopse: Se você já é fã do canal Manoela Antelo ou do Luan Novitt este livro é para você. Mas se você ainda não conhece os dois, acredite: este livro também é para você. Acostumados a dividir a vida com seus seguidores, Manu e Biri (como os dois se chamam) sabem o poder de um sorriso: conquistaram o Brasil fazendo milhares de pessoas sorrirem todos os dias com vídeos leves, engraçados e sinceros. Muito mais que tio e sobrinha, os dois são melhores amigos e parceiros para qualquer aventura. Este livro é para todos aqueles que acreditam na força da amizade, na união, no sentimento único de ter alguém com quem contar em todos os momentos. Encontre aqui as melhores histórias de Manu e Biri e se surpreenda, pois assim como eles, você também vai ter muitos motivos para sorrir ao fechar este livro.


Título: Guerreiros não nascem prontos
Autor: José Luiz Tejon
Selo: Gente
ISBN: 978-85-452-0054-3 
Formato: 16 x 23 cm
Páginas: 192
Gênero: Carreira 
Lançamento: Junho de 2016
Preço de capa: R$ 29,90

Sinopse: Este livro fala de lutas. Lutas que nos servem de exemplo, que nos ensinam estratégias. Lutas que mostram que não é fácil correr atrás daquilo que queremos. Mas nunca devemos nos ajoelhar perante o destino porque essa é, nas palavras de José Luiz Tejon, “a essência da alma forjada na têmpera forte dos grandes guerreiros”. Em Guerreiros não nascem prontos, Tejon leva ao leitor palavras inspiradoras, mostrando que o caminho para a realização não chega sem obstáculos. Tejon despertará o guerreiro em você, ajudando-o a fazer escolhas inteligentes, alinhadas com os valores da sua vida.


Links para Compra
  • Motivos para Sorrir
  • Guerreiros Não Nascem Prontos

E ai, algum de vocês já leram esses livros? Ou eles estão na sua wishlist? Deixa nos comentários (;

27 de jun de 2016

[TAG] Romances de Época

É, acho que acabei gostando de responder TAG's. Por isso trouxe mais pra vocês conhecerem. E nada melhor que uma tag do meu gênero favorito: Romances de Época <3 Criado pelo Minha Vida Literária para o especial de Romance de Época que fizeram com parceria de outros blogs, aqui além de responder vai servir de ajuda para aqueles que querem começar nesse mundo porém não sabe como.


1- “Ai, meus sais” – Um romance de época que te deixou agoniada.

O Princípe dos Canalhas da Loretta Chase. Não tinha como ser outro. Lorde Belzebu me deixou agoniada o livro inteiro por se achar inferior a nossa mocinha. Em certo momentos tive a sensação que o casal não ia dar certo por causa do passado dele e de tudo que ele tinha medo. Sua insegurança falou alto em alguns momentos no livro e isso me deixava até frustada porque ele merecia um final feliz, uma vida feliz. Com certeza foi um dos romance que mais me deixou com sentimentos conflitantes, porém que não largaria nunca porque é uma história LINDA do início ao fim.

2- Espartilho – Uma protagonista que se sente presa às regras da sociedade em que vive.

A Rose do Jogos do Prazer da Madeline Hunter. Com certeza o livro, a história da família dela é presa às regras da sociedade. Escolhi ele porque a cada virada de página, a cada recusa que ela tinha, a vontade de fazer ela quebrar as regras eram cada vez mais altas. E quando Kyle entra, totalmente fora da aristocracia é ai que tudo grita. É uma história cheia de segredos, reviravoltas e principalmente de crescimento da nossa personagem que deixa de ser levada pelo que a sociedade julga. Muita gente não gosta por fugir um pouco do estilo que está em alta no mercado, mas eu amo de paixão a série dos Rothwells. Resenha do blog

3- Musselina – Um romance de época bastante leve.

O Conde Enfeitiçado da Julia Quinn. Acho que um dos mais leves que já li, porém o sentido da palavra leve nesse caso é que os acontecimentos e o final vieram de uma forma natural. Pelo mocinho já estar presente na vida da Francesca, foi fácil encaixá-lo e fazer florescer esse amor. Junta isso tudo com a escrita da Julia Quinn, que também é leve, faz desse um livro para ser lido durante um chá. É um dos meus top 5 da escritora.




4- Varão – Um mocinho imponente.

O Aidan do livro Ligeiramente Casados, Mary Balogh. Só por possuir patente militar já poderia classificá-lo como imponente, porém o que mais se encaixa é sua personalidade. Fechado, rigoroso, que não sorrir, que cumpre tudo que lhe é prometido você vê que por trás desse ar de importante, ele é um homem com sentimentos. É lindo ver a Eve desmanchar pouco pouco essa ar rígido. Uma história recheada de drama e suspenses, a escrita da Mary Balogh é um pouco mais ousada que uma Julia Quinn porém mais leve que uma da Sarah Maclean. Foi uma bela surpresa conhecer mais essa autora e não poderia deixá-la de fora.

5- Fazer a corte – Um romance de época apaixonante.

Paixão ao Entardecer da Lisa Kleypas. Não tem como você não adorar a Beatrix nesse livro. Ao longo da série dos Hathaways você vê o crescimento da caçula e o quão a personalidade dela é forte. Um pouco diferente da época, desde o primeiro livro você torce pra ela conhecer um cara que aceite do jeito que ela é. E a forma como a Lisa fez esse romance acontecer foi esplendor. Eu adorei demais a ideia que a autora fez, e adorei demais o Christopher sendo quebrado e moldado pela mocinha. Minha história favorita da família.

6- Baile – Um romance de época com um bom ritmo de leitura.

Perdida da Carina Rissi. Pode virar a cara, pode falar que odeia o livro, mas nunca ninguém irá negar que a história da Carina é fluida. Perdida é um ótimo livro porque traz o contraste do presente e passado e porque nossa mocinha Sofia acaba de alguma forma parando no passado. E jurando de pé junto que nunca ia lhe acontecer uma coisa (não posso falar porque pode ser spoiler), ao viajar no tempo tudo sai ao contrário. Com pitadas de ironia, humor, romance e drama Carina fez o livro certo pra conquistar todo mundo.



7- Chapéu – Uma história que você leva na memória.

Outlander, A Viajante do Tempo da Diana Gabaldon. Não tinha como colocar outra história, outra autora além dessa na TAG. Outlander é um mundo único em que une tudo que você quer ver em um livro e te dá de bandeja. Além de ser um romance de época, ele também é histórico por trazer de fundo as batalhas da Escócia. É uma série com livros de no mínimo 500 páginas, mas que te envolve de uma maneira que você lê rápido e ainda pede mais. Esse livro eu sempre indicarei, sempre levarei como uma das poucas obras completas que eu já li na vida. Diana renovou e me fez ver detalhes que antes não reparavam em livros e isso é muito bom. É um livro enriquecedor. Aliás tem resenha dele aqui no blog.

8- Escapulidas nos jardins – Um romance de época cujo casal acaba violando as regras da sociedade.

Nove Regras a ignorar antes de se Apaixonar da Sarah Maclean. Olha ficou difícil escolher apenas um casal, já que a maioria dos livros o casal acaba violando uma ou mais regras da sociedade. Por isso escolhi uma das surpresas boas da Sarah que é esse livro. Calpúrnia é uma mulher que toma chá de cadeira e sua personalidade é tão destacada que eu me identifiquei. Você rir, sente a dor dela, chora, sorrir e é uma história de entrega que quando você vê está completamente envolvida. Eu tive um pé atrás com a Sarah em outros livros pela criação das suas mocinhas com tanta insegurança, porém essa veio na medida certa. E nosso mocinho, Gabriel, também tem uma personalidade forte e carismática. É desde a primeira página que você quer eles juntos e quebrando todas as regras.


9- Chá da tarde – Uma autora britânica.

Mary Balogh.Mary Balogh nasceu e foi criada no País de Gales. Ainda jovem, se mudou para o Canadá, onde planejava passar dois anos trabalhando como professora. Porém ela se apaixonou, casou e criou raízes definitivas do outro lado do Atlântico. Sempre sonhou ser escritora e tinha certeza de que, no dia em que escrevesse um livro, ele seria ambientado na Inglaterra do Período da Regência. Quando sua filha mais nova tinha 6 anos, Mary finalmente encontrou tempo para se dedicar ao antigo sonho. Depois de três meses escrevendo na mesa da cozinha, a primeira versão de sua obra de estreia estava pronta. Publicada em 1985, deu a Mary o prêmio da Romantic Times de autora revelação na categoria Período da Regência. Em 1988, depois de vinte anos de magistério, ela passou a se dedicar apenas aos livros. Hoje Mary Balogh é presença constante na lista de mais vendidos do The New York Times e vencedora de diversos prêmios literários.

10- Cinta liga – Um romance de época bastante sensual.

Entre a Culpa e o Desejo da Sarah Maclean. Quando a premissa da história é a nossa mocinha Pippa querendo se perder, querendo aprender certas coisas, com certeza pode esperar um romance bastante sensual porém sutil. Romance de época não é um erótico, todavia dependendo da autora ela pode ousar mais ou não. Sarah Maclean junto com a Tessa Dare são as rainhas da ousadia. E quando você junta uma Pippa curiosa e inteligente com Cross, um típico canalha com problemas no passado e celibato, pode esperar fogos e tensão a cada instante. Essa foi uma das histórias que me fizeram continuar lendo Sarah e não me arrependo. Um dos melhores romances de época da minha estante. Resenha do blog


11- Cartão de dança – Um romance de época que esteja na sua lista de leituras.

Tenho vários na lista, mas o mais sufocante para ter é o Pecados no Inverno da Lisa Kleypas. Já tem um tempinho que li a série dos Hathaways então preciso de algo novo dela. Os títulos anteriores da série das Estações não me chamou tanta atenção, então devo pular os dois pra ir direto nesse. Também tenho na lista, A Caminho do Altar, Ligeiramente Seduzidos, A Bela e o Ferreiro, Seduzida por Um Guerreiro Escocês, os livros restantes de Outlander, enfim ela é bem grandinha já que no mínimo leio 3 livros de época por mês.

Espero que tenham curtido minhas respostas para esse TAG e espero que algumas sugestões sejam aceitas. Adorei demais respondê-la e quem sabe trago mais dessas coisas para o blog.

E vocês, já leram romance de época ou pretende ler? Nunca se interessaram? Deixa sua opinião nos comentários (;

24 de jun de 2016

[TAG] Conhecendo o Meu Acervo

Faculdade apertando, sem tempo para ler livro, nada melhor do que responder uma TAG rapidinha pra vocês. E hoje irei responder a TAG Conhecendo o Meu Acervo do blog Historiar. Adorei a ideia e mesmo sem ninguém me marcar resolvi fazer. Vamos lá?



1 - Qual a lombada mais chamativa do seu acervo de livros?

Vou te falar que é uma pergunta muito difícil. Tenho várias lombadas que por si só já chamam atenção, mas para essa irei escolher as da edição limitada de Harry Potter. Todas as pessoas que vem no meu quarto e olham minha estante, a primeira coisa que notam são eles.



2 - Quantos livros o seu acervo possui?

Tem um certo tempinho que não conto pois fiz muitas doações e trocas. Mas confiando no meu skoob tenho em torno de 272 livros.

3 - Conte os livros em ordem até 15. Qual é o livro? Fale um pouquinho sobre ele. 

Contando até 15 na minha estante branca (sim, possuo mais de uma estante) cai no livro A Coroa da Kiera Cass. Um livro que achei a capa um pouco feia, tem pouco tempo aqui na estante (Comprei em Maio se não me engano) e finaliza a série de A Seleção da autora. Por possuir resenha, que se encontra aqui, não falarei muito mais pra vocês irem lá e lerem. Mas de ideia geral, da série A Seleção toda, a duologia foi desnecessária ao meu ver. Eadlyn não me cativou e essa história foi tão corrida que deixou várias pontas soltas. É uma pena pois amo a Kiera, e adorei esses tons de roxo, porém não me conquistou.

4 - Conte os livros em ordem até 20. Qual é o livro? Fale um pouquinho sobre ele. 

Utilizando outra estante, cai no livro Função CEO, A Descoberta da Verdade da Tatiana Amaral. De autora nacional esse é o terceiro livro da trilogia intitulada Função CEO. Ainda li os livros na época que eram fanfics de Twilight e que todos usavam orkut! (sim sou fã de Crepúsculo e não nego). Me lembro que me chamou muita atenção e quando vi que seriam publicados fisicamente, corri atrás deles. É uma pena ainda não ter lido/relido, porém tenho planos para eles ainda esse ano. Ele foi comprado na Bienal do ano passado, pensando em pegar autógrafo da autora porém não consegui. Espero ainda conseguir.




5 - Escolha um livro com a lombada branca e fale um pouco sobre ele.

Como adoro burlar algumas regras, escolhi uma série com a lombada branca que é Os Bridgertons da Julia Quinn. Quem me conhece sabe que sou alucinada e fã de romance de época então não posso deixar de indicar eles. São livros "curtos" que para quem possui o hábito de leitura, se deixar lê em um dia. Escrita fluida, leve, sensual em alguns momentos e sempre divertida é uma boa para aqueles que adoram romance e para quem quer iniciar nesse gênero. 

6 - Como você costuma organizar os seus livros?

Já tive várias organizações, desde por escritores à por editoras. Nesse momento por possuir três estantes e ela serem diferentes, resolvi separar por gênero. Porém as vezes não é o gênero que o livro indica, e sim de acordo com o que eu acho que ele se encaixa. Não entendeu? Eu explico. Fantasia é um gênero muito amplo e as vezes pode ser subdivido ou não. Eu gosto de separar sobrenaturais de fantasia, ou seja, vampiros, lobisomens, anjos mesmo as vezes tendo muito característico o erótico ou fantasia, eu prefiro classificá-los como sobrenatural. Romances como New Adult, Young Adult, Chick-list prefiro deixar tudo junto, só separei dois subgêneros por conter muitos deles que é o romance de época e o erótico. Então meio que essa organização é um entendimento meu, mas de maneira geral algumas pessoas conseguem se achar. Além dessa divisão de gênero, também divido por ordem do nome do autor. Achou meio complicado? Só minha cabeça entende haha.

7- Qual foi o último livro que você adquiriu?

Podemos dizer os últimos pois foram dois: A Garota do Calendário Janeiro e Fevereiro da Audrey Carlan.

8- Quais os livros mais antigo do seu acervo?

O livro Marcada da série House Of Night da P. C. Cast e Kristin Cast. Aliás os 3 primeiros. Estão todos amarelados, bem acabadinhos, mas não troco eles por nada. Comprei eles em 2009 e foram um dos que me empurraram nesse mundo literário. Poderia ser também a coleção Crepúsculo, já que foi a minha primeira leitura fora da vida escolar todavia as edições que eu tenho na minha estante foi comprada bem depois da primeira leitura.



9- De quais autores você tem mais livros?

Também da P. C. Cast já que a série possui 12 livros. Não me arrependo de ter ela e pretendo ainda terminar a série. Já vi muita gente falando mal, porém são meus xodós porque sem eles eu não teria sequer pensado em ler.

10- Tire uma foto do acervo.



Tenho bem poucos livros se comparar com vários booktubers ou blogueiros da vida, porém essa minha estante é meu xodó. A segunda eu tenho um carinho enorme pois foi meu pai que montou pra mim e agora irei deixar pra colocar mangás/HQ's já que é um "novo" mundo que descobri e sei que irei gostar.

Então é isso, hoje vocês conheceram um pouco do meu acervo. Espero que tenha gostado e deixa nos comentários se já leram algum desses livros (;

17 de jun de 2016

Resenha - A Dama da Meia-Noite

Livro: A Dama da meia-noite #3
Série: Spindle Cove
Autora: Tessa Dare
Editora: Gutenberg
Páginas: 288
Gênero: Romance de Época
Sinopse: "Pode um amor avassalador apagar as marcas de um passado sombrio? Após anos lutando por sua vida, a doce professora de piano, Srta. Kate Taylor, encontrou um lar e amizades eternas em Spindle Cove. Mas seu coração nunca parou de buscar desesperadamente a verdade sobre o seu passado. Em seu rosto, uma mancha cor-de-vinho é a única marca que ela possui de seu nascimento. Não há documentos, pistas, e nem ao menos lembranças Depois de uma visita desanimadora para sua ex-professora, que se recusa a dizer qualquer coisa para Kate, ela conta apenas com a bondade de um morador de Spindle Cove, o misterioso, frio e brutalmente lindo, Cabo Thorne, para voltar para casa em segurança. Embora Kate inicialmente sinta-se intimidada por sua escolta, uma atração mútua faísca entre os dois durante a viagem. Ao chegar de volta à pensão onde mora, Kate fica surpresa ao encontrar um grupo de aristocratas que afirma ser sua família. Extremamente desconfiado, Thorne propõe um noivado fictício à Kate, permitindo-lhe ficar ao seu lado para protegê-la e descobrir as reais intenções daquela família. Mas o noivado falso traz à tona sentimentos genuínos, assim como respostas às perguntas de Kate. Acostumado com combates e campos de batalhas, Thorne se vê na pior guerra que poderia imaginar. Ele guarda um segredo sobre Kate e fará de tudo para protegê-la de qualquer mal que se atreva atravessar seu caminho, seja uma suposta família oportunista ou até ele mesmo."

Tessa Dare se supera em cada livro. Quando eu li os dois primeiros, nunca pensei que iria ver uma evolução de escrita e enriquecimento de história ainda na série, porém isso aconteceu. A autora conseguiu entrelaçar a história do Thorne e da Kate antes mesmo de a gente imaginar, e isso se encaixou tão perfeitamente que deu um toque à mais em tudo. Apesar das personalidades dos dois serem mais sofridas o romance aqui é de tirar o fôlego. Vemos uma passado, presente e futuro sendo construído. Com certeza foi a que mais me tocou.

Kate tem uma personalidade forte, acho que como todas as nossas protagonistas de Spindle Cove, mas cada uma de maneira diferente. Aqui o que se destaca nela é a perseverança de amar e de querer ser amada. Com uma vida sofrida na infância, orfã, ela não se lembra de quase nada e agora com 23 anos quer encontrar alguém pra chamar de família. No oposto temos Thorne, um cara frio, fechado, que chegou na ilha junto com o Bram e agora é o cabo da milícia. Sente uma atração tão grande por Kate que nem pode ficar ao lado dela, sem sentir esse sentimento lhe puxando. O que não esperávamos é que de alguma forma a vida desses dois vão ser interligadas e já eram interligadas.

"Da próxima vez que eu me sentir tentada a estender um ramo de oliveira como sinal de amizade ao Cabo Thorne..." Ela arqueou uma sobrancelha e deu um sorriso divertido. "Lembre-me de usar esse ramo para bater na cabeça dele." pág. 10

Senti o romance mais presente e em mais destaque. Vemos uma preocupação maior em encaixar todo o passado, em fazer os dois crescerem junto e isso é simplesmente fantástico. Apesar de Thorne ter todos os seus defeitos e em alguns momentos parecer irritante, Kate consegue equilibrar ele e quebrar o gelo todo. E essas são minhas cenas favoritas, Kate aos poucos fazendo com que o cabo se abra mais, que entenda a sua vontade e que melhore como pessoa. E quando você acha que nada pode superar, temos uma revelação que faz você chorar pelo restante do livro inteiro. O passado de Thorne tem um motivo e é de acabar com sentimentos quando você descobre. Se Tessa Dare não tinha lhe conquistado nos outros livros, nesse você vai deixar seu coração.

Mais uma vez tenho que elogiar o cuidado que a editora tem com a diagramação e os detalhes do livro. A capa foi pensada, o detalhe do piano nas páginas também. Isso dá um toque à mais a delicadeza e te faz interagir mais. Eu nunca pensei que Tessa iria tornar-se uma das minhas autoras favoritas entretanto é isso que acontece cada vez que leio algo dela. Ela é diferente das autoras que estão no mercado porque ela consegue equilibrar muito bem a fragilidade e delicadeza que se precisa na época com momentos fortes e que precisam ser mais bruscos. Eu me impressiono cada vez mais com ela e vejo que ela me cativou de maneira geral. 

"Minha vida toda", ela começou, com a voz falhando, "eu me apeguei a uns fiapos de memória. Não importava o quão triste era minha realidade, essas lembranças vagas me davam a esperança de que alguém, em algum lugar, havia gostado de mim, um dia. E eu sempre acredite, no fundo do meu ser, que algum dia alguém me amaria novamente." pág. 203

Esse é o terceiro livro da série Spindle Cove e tem resenha no blog do segundo, Uma Noite Para Se Perder lançado também pela Gutenberg. A editora também está responsável pelo lançamento de uma 2° série dela intitulada Castle Ever After que já possui os dois primeiros lançados.

E vocês, já leram Tessa Dare ou ficaram curiosos para conhecer? Deixa nos comentários (;

13 de jun de 2016

Resenha - Talvez Um Dia

Livro: Talvez Um Dia
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Páginas: 368
Gênero: Romance
Sinopse: "Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex- melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento... Tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava se pegavam quando ela não estava por perto. Até que foi um soco merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge. Um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atração que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem uma namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora."

Sydney em seu aniversário que 22 anos descobre que está sendo traída pela sua melhor amiga e seu namorado. Ao descobrir, ela quer ficar o mais longe possível deles e para isso, já que dividia seu apartamento com sua "melhor amiga", sem lugar para ir resolve aceitar a ajuda de Ridge. Ridge é seu vizinho que todas as noites vai para a varanda tocar seu violão e ela assiste. Ele tem namorada, mas com todos esses acontecimentos acabam se aproximando muito. Tudo que Sydney não queria é que a história que tinha acabado de acontecer com ela se repetisse. E isso vai exigir grande esforço de ambas as partes.

"Tenho medo de que os sentimentos sejam a única coisa na nossa vida sobre a qual não temos qualquer controle." pág. 212

Essa sinopse não traz nem a metade dos sentimentos que esse livro vai te proporcionar. Nem a metade do quanto essa história é profunda e vai tocar todos aqueles que já leram a Colleen quanto aqueles que querem começar. A autora consegue se recriar e diferenciar seus livros de uma forma única, e ainda sim deixar sua marca registrada que é o drama. Cada livro parece que me surpreende cada vez mais. Quando eu espero que ela não possa criar nada novo, ela vem e quebra todos esses paradigmas. Os personagens principais tem uma química tão forte e tão grande que em certos momentos você sente vontade de chorar ao torce pros dois. A escrita é rica, fluida e cheia de sentimentos. Você consegue sentir isso.

Mais uma vez essa parceria de arte e livro deu muito certo. Depois de unir poesias com a história em Métrica, Talvez Um Dia traz a música unida com a história. Ambos os personagens tem sua vida interligada a ela e vai ser também o que ligará os dois. Outro ponto chave foi a deficiência que Ridge possui. Isso fará com que certas situações sejam criadas e eles passem por situações não imaginadas.

"Às vezes as palavras podem causar um efeito muito maior no coração do que um beijo." pág. 260

O livro todo percorre o drama e a culpa, quando os dois começam a ver que seus sentimentos um por outro cresce. É angustiante e ao mesmo tempo explicável o porquê disso tudo. Ambos precisam amadurecer e crescer com relação ao que querem e ao que não querem. E esse drama chega ao pico quando conhecemos a Maggie, namorada do Ridge.

Quando você começa a entender o passado dela, e o que ela vive, você não sabe para quem mais torcer. Só desce lágrimas pelos seus olhos. E isso resulta a um ponto onde o livro não tem volta e as decisões são tomadas. Confesso que esse final me lembrou muito Um Caso Perdido e isso é uma coisa positiva (é meu livro favorito da autora). Além dos percalços da vida, devemos amadurecer e saber onde erramos num relacionamento ou não. Devemos nos conhecer para saber se seguimos em frente ou não. Devemos nos amar primeiro acima de qualquer outra pessoa. E isso ficou bem claro na Sydney no final. Apesar de se doar de alguma maneira, ela quer se colocar em primeiro lugar.

"Mas é arte. E arte é apenas um meio de expressão. Uma expressão não é o mesmo que um ato, por mais que às vezes parece ser. Compor não é o mesmo que informar diretamente a alguém sobre os seus sentimentos." pág. 201

Eu não tenho palavras para dizer o quanto sou fã da autora. Quando você percebe que leu o livro em apenas 5 horas, isso pode dizer tudo. Os livros dela, são livros que você entra e não quer sair mais. Você chora, sorrir, rir, fica nervoso e angustiado, porém sempre tira lições por trás. Porque ela traz nosso cotidiano, traz situações que podem acontecer com qualquer um ou mostrar que a vida é uma tragédia mas que temos que erguer a cabeça e seguir. É um romance que você lê e para um pouco para pensar na vida de maneira geral. É incrível.

E vocês, leriam Colleen Hoover? Ou já leram? Deixa nos comentários.

10 de jun de 2016

Resenha - Lick

Livro: Lick #1 
Série: Stage Dive
Autora: Kylie Scott
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 301
Gênero: Romance/Erótico
Sinopse: "No impulso de uma noite de diversão e bebedeira em Las Vegas, Evelyn Thomas casou-se com um desconhecido. No dia seguinte, porém, ela se deu conta de que aquilo fora um terrível engano. Então, decidiu manter este pequeno deslize em segredo. O que Evelyn não sabia era que havia se tornado a esposa do cobiçado David Ferris, guitarrista da famosa banda de rock Stage Dive. Agora, ao retornar para sua casa em Portland, ela terá de enfrentar as perseguições de repórteres, fugir às loucuras das fãs do astro e ainda encarar sua família, que não demonstrou nenhum contentamento com o ímpeto matrimonial da jovem filha. Será que Evelyn conseguirá resistir às delícias de David a fim de permanecer como “a garota certinha” ou decidirá embarcar nessa glamourosa aventura junto ao marido rockstar?"

Lick vai contar a história da Evelyn e do David. Evelyn foi para Las Vegas comemorar seu aniversário de 21 anos e tentar esquecer a experiência horrível que teve na sua primeira vez. Completamente bêbada, ela conhece David, um guitarrista famoso e estourado da banda Stage Dive porém que ela não reconhece e com quem no impulso acaba se casando. Ao acordar no dia seguinte ao lado dele, ela não lembra de absolutamente nada e muito menos do seu casamento e sendo assim ela pede a anulação.

Mais um típico livro de bad boy? Mais um típico livro de músico que se apaixona por uma menina simples e diferente que te tira do eixo? Talvez sim, talvez não. Aquele molde que define esse gênero estava em um estado tão alarmante em mim, que já tinhas uns meses que eu não queria e não tinha a mínima vontade de ler algum livro desse. Lick conseguiu sair desse molde.

"Chegara a hora de assumir o comando. Na verdade, já passara da hora. O que eu estava fazendo, indo de um desastre para o seguinte? Essa não era eu. Eu gostava de estar no controlo, de ter um plano. Era hora de parar de me preocupar com o que eu não podia mudar e agir naquilo que podia." pág. 70

Quando um erótico te traz elementos fortes como a personalidade da Evelyn, você percebe o quanto o livro pode se destacar dos outros do gênero. A autora não nos trouxe só um livro com cenas picantes, mas sim um livro que talvez fale de crescimento pessoal e aceitação. Só da nossa protagonista não ser uma sem sal, que faz tudo que manda, que quando quer impõe sua posição, é um diferencial. Adicione humor na hora certa, cenas sensuais no ponto e de segundo plano da trama inicial, temos um livro ótimo para ser explorado.

Fora os personagens secundários como o Mal, Jimmy, Ben que traz toque à mais na história e que me diverti muito, Lick entrou para os meus queridinhos. Com uma escrita que você vai lendo sem perceber, diagramação limpa e no ponto de vista da nossa protagonista, ele é primeiro de uma série de 4 livros, cada um contando a história de alguém na banda. Aliás acabei comprando ele e o segundo (Play) junto sem saber e quando fui ler e ver que é a história do Mal surtei. Quero um Malcon pra mim. 

"Mais leve e mais livre deveriam andar de mãos dadas, mas não. Dentro de mim existia um peso enorme. Já fazia horas que eu vinha arrastando meu pobre traseiro por aí. Entrando no avião. Saindo do avião. Entrando no carro. Subindo as escadas. Nem o tempo nem a distância ajudaram até o momento." pág. 217

E não podemos esquecer de falar do David, uma cara com um passado perturbador, que se recente com seu irmão e tem problemas de confiança. Amadurecimento poderia definir ele nesse livro e é gratificante ver essa mudança. Em suas 301 páginas, vemos duas pessoas se alterando e se compreendendo. É um ótimo livro para passar a tarde e relaxar. Já estou ansiosa para ler o segundo.

E vocês, se arriscariam a ler Lick? Deixa nos comentários (;

7 de jun de 2016

Resenha - Anjos e Demônios

Livro: Anjos e Demônios
Autor: Dan Brown
Editora: Arqueiro
Páginas: 464
Gênero: Suspense/ Romance Policial
Sinopse: "Antes de decifrar ´O Código Da Vinci´, Robert Langdon, o famoso professor de simbologia de Harvard, vive sua primeira aventura em Anjos e Demônios, quando tenta impedir que uma antiga sociedade secreta destrua a Cidade do Vaticano. Às vésperas do conclave que vai eleger o novo Papa, Langdon é chamado às pressas para analisar um misterioso símbolo marcado a fogo no peito de um físico assassinado em um grande centro de pesquisas na Suíça. Ele descobre indícios de algo inimaginável: a assinatura macabra no corpo da vítima - um ambigrama que pode ser lido tanto de cabeça para cima quanto de cabeça para baixo - é dos Illuminati, uma poderosa fraternidade considerada extinta há quatrocentos anos. A antiga sociedade ressurgiu disposta a levar a cabo a lendária vingança contra a Igreja Católica, seu inimigo mais odiado. De posse de uma nova arma devastadora, roubada do centro de pesquisas, ela ameaça explodir a Cidade do Vaticano e matar os quatro cardeais mais cotados para a sucessão papal. Correndo contra o tempo, Langdon voa para Roma junto com Vittoria Vetra, uma bela cientista italiana. Numa caçada frenética por criptas, igrejas e catedrais, os dois desvendam enigmas e seguem uma trilha que pode levar ao covil dos Illuminati - um refúgio secreto onde está a única esperança de salvação da Igreja nesta guerra entre ciência e religião. Em Anjos e Demônios, Dan Brown demonstra novamente sua extraordinária habilidade de entremear suspense com fascinantes informações sobre ciência, religião e história da arte, despertando a curiosidade dos leitores para os significados ocultos deixados em monumentos e documentos históricos."

É surpreendente que mesmo sendo uma releitura Dan Brown sempre me deixa de queixo caído. Um dos melhores das Aventuras de Robert Langdon, Anjos e Demônios consegue mexer com 3 tabus: Igreja, Illuminatis e a ciência. Esse livro nos traz a estória de Robert Langdon, um historiador e professor de Harvard que acaba entrando numa corrida atrás da antimatéria -uma descoberta da física que tem uma força maior que uma bomba nuclear- e os Illuminatis contra a Igreja católica. Não imagina como esse assuntos consegue se interligar? Pois bem, o autor conseguiu.

Vamos aprender e nos ligar a fatos que estão no nosso cotidiano, porém nunca nos aprofundamos. A Nova Ordem Mundial, os Illuminatis, ciências versus igrejas é um tema bem atual (apesar do livro ter sido escrito em 2000). Ver a desconstrução dos esteriótipos, realidade misturada com ficção, reviravoltas, acontecimentos não esperados e até mesmo fatos reais, locais reais é de tirar o fôlego.

Robert Lagdon é um personagem extremamente real no sentido personalidade. Tem suas dúvidas quanto a vida, tem suas dúvidas quanto a religião, quanto a ciência, quanto a errar também, que isso acaba ligando mais você ao interlocutor da estória. Acho que um dos grandes pontos chaves é ele. E quando foi imortalizado nos filmes com Tom Hanks ganhou mais voz.

"Roma...o caput mundi, onde César um dia reinou, onde São Pedro foi crucificado. O berço da civilizaçõa moderna. E em seu âmago....o tique-taque de uma bomba." pág.106

E o autor também brinca de até quando é realidade? Até quando é ficção? Os locais aonde perpassa os acontecimentos, são reais, existem, assim como os pintores, esculturas e dados científicos. Porém não podemos acreditar 100% porque alguns assuntos como por exemplo esse dos Illuminatis refere-se a muita coisa vaga e que deixa a imaginação. O que eu gostei foi o tratamento e o refino que Dan nos trouxe nesse assunto. Temos muita teoria da conspiração em cada canto na internet, especulações que ao meu ver não tem nada haver, muito disse me disse e nada concreto. Podemos tirar algo de história bacana disso tudo e aprender algumas coisas básicas podendo filtrar todas essas baboseiras que ao digitarmos no Google acabamos achando.

Outro ponto positivo é que vemos imparcialidade aqui. Em nenhum momentos Robert toma partido à favor tanto da fé quanto da ciência. O autor teve a genialidade de tornar-se imparcial junto com seu personagem e mostra deixando as claras os pontos positivos e negativos de cada lado. Sim haverá críticas duras tanto a ciência quanto da igreja.

O detalhismo de obras, de pinturas, de locais surpreende. Numa estória em que o fundo de pano é um país, uma cidade muito conhecida os detalhes e as realidades nesse fundo precisam ser o mais real possível. E isso é nítido. A pesquisa com toda certeza foi intensa, foi exaustiva e fez jus no livro. Está impecável e é como se tivéssemos sido teletransportados para lá.


"As nossas mentes por vezes vêem aquilo que os nossos corações desejariam que fossem verdade" 

Um ponto negativo que muitas pessoas não gostam é a sensação de se leu um livro do autor, leu todos. Pela sua estrutura ser parecida, por ser um romance policial, que investiga, tem que ir atrás de pista, acaba que o "molde" é sempre mesmo. Eu não vejo isso. Vejo singularidades e diferenças em todos os livros, e ainda acho o último livro lançado dele, Inferno, uma das mais destoantes. Dan Brown é um autor para leitores que gostam de descobrir, de tentar pensar, de conhecer e investigar assuntos que outros não querem, que te faz raciocinar mesmo, afinal ele não te dá uma resposta final e sim desmembra  as explicações deixando você chegar à uma conclusão final no que acreditar.

A série do Robert tem 4 livros lançados: Anjos e Demônios, O Código da Vinci, O Símbolo Perdido e Inferno. Temos dois outros ligados mais a ficção científica que são: O Ponto de Impacto e Fortaleza Digital. Dos 6 já li 5 e estou agora fazendo a releitura. Quando eu os li pela primeira vez, por volta de 13 anos, foram descobertas fantásticas, fascinante, uma coisa nova para quem amava a matéria e tudo relacionado a história. Hoje aos 19 anos, totalmente pro lado das biológicas, o sentimento ao relê-lo foi o mesmo. Isso diz que o autor consegue quebrar barreiras da idade fazendo com quem pessoas de qualquer idade que se interessa, possa ler. Eu sempre falo para qualquer pessoa ler pelo menos UM livro dele porque é um livro pacote: tem um pouco de tudo dentro. Aliás tem post aqui no blog de Porque eu devo ler Dan Brown se essa resenha não te convencer. 

E vocês vão encarar ler Dan Brown? Ou já leram e tiveram algumas impressões diferentes? Deixa nos comentários!

3 de jun de 2016

Resenha - Meu

Livro: Meu #2
Série: Real
Autora: Katy Evans
Editora: Novo Século
Páginas: 325
Gênero: Romance/Erótico
Sinopse: "Agora, com a distância e a escuridão entre eles, a única coisa que resta para Brooke é lutar pelo amor do homem que ela chama de “meu”. Na série best-seller REAL, o irrefreável lutador bad boy Remington Tate finalmente encontrou a maior razão pela qual lutar em sua vida, Brooke Dumas. Contratada para mantê-lo em perfeitas condições físicas, a jovem fisioterapeuta conseguiu desencadear um desejo primitivo tão vital em Remington quanto o ar que ele respira... “Remy” simplesmente já não pode viver sem ela. Brooke jamais imaginou que iria se apaixonar tão perdidamente por um homem, e mais, nunca sonhou que ele seria nada menos que a fonte de desejo de toda mulher. Quando tudo parecia caminhar para uma felicidade genuína, Brooke acaba sendo arrancada para longe dos arredores do ringue. Uma perigosa ameaça está à espreita, pronta para derrotar o “Arrebentador” e arrasar tudo em seu caminho no momento em que eles mais precisam um do outro. Mas será que uma última revelação surpreendente conseguirá mudar para sempre o destino desse intenso amor?"

Meu irá dar continuação a história do primeiro livro, Real. Começa exatamente depois do Remy perder a temporada para proteger a Brooke e nesse ele está fazendo de tudo para voltar e ganhar o campeonato do Scorpion, seu maior inimigo. O que os dois, que estão mais felizes do que nunca, não esperavam é que uma surpresa pudesse chegar, mudando totalmente os planos deles.

Eu estava doida por essa continuação. Um dos poucos eróticos que conseguiram me conquistar, estava relutando um pouco de ler por achar que a autora poderia estragar completamente a história do primeiro. Ainda bem que eu li.

" Ele diz que é meu, mas sei que há uma parte de Remington Tate que ninguém nunca vai ter. " pág. 17

Remy ainda luta contra sua bipolaridade, que aqui foi diagnosticada como bipolaridade I, e com o fato de querer ganhar o campeonato junto com a possessividade da Brooke faz com a história seja mais densa. Isso desde o primeiro livro é mostrado, e esse sentimento não foi nem um pouco retraído. Para alguns que já leram e não gostaram acham isso mega forçado e com o feminismo mais forte definem como absurdo e nojento. Minha opinião é que tem motivos para ele agir desse jeito, já explicadas e REFORÇADOS aqui e que na minha cabeça se encaixa. Para outros não, é absurdo. A série da Katy Evans é aquela que você ou odeia ou ama.

A história vai girar em volta desse fator surpresa que não posso contar, pois ao meu ver é spoiler, mas que trará alegrias e momentos de sofrimentos nos dois. Acho que a Brooke conseguiu evoluir muito desde Real, porém ela peca em alguns momentos com a super insegurança. Ela toma atitudes que questiono e que em certo momento acho super inadequado, porém mais pra frente toma atitudes corretas e esqueço tudo que me fez ter raiva dela. Esse livro te traz sentimentos conflitantes e livros que te levam numa montanha russa de sentimentos são melhores, afinal não existe pessoas perfeitas que sempre acertam. A característica da autora é de personagens fortes e autênticos que são cativantes de alguma maneira, que mesmo você querendo odiar, você acaba se apaixonando. Menos o Scorpion porque esse é sem jeito.

Narrado em primeira pessoa, pelo ponto de vista da nossa protagonista, comparado com o seu antecessor esse tem muito menos cenas explícitas o que é um fator positivo. Os acontecimentos conseguiram fluir mais e a tensão dos personagens conseguiu fazer com que as cenas de sexo fosse certeira e no momento certo. Para quem estava desacreditada do gênero, Meu foi um refresco de leitura para quem sabe deixar um pouco de lado o pé atrás desse massivo marketing em cima do erótico e abrir meus olhos pra novos títulos. 

"- Remy, eu amo você, mas nunca permita que os caras esmurrem você de propósito como fez nesta noite." pág. 73

Já estou doida atrás do terceiro, Remy, que conta a mesma história do primeiro porém pelo ponto de vista dele. Sou louca por livros de pontos de vista masculinos. Já estou surtando por ele. Até onde eu sei a série possui 4 livros, sendo que a partir do 4° já conta história de alguns personagens secundários. Foi mais uma leitura boa para passar a tarde, que você lê rapidamente e eu amei voltar a esse mundo. Agora é esperar pelo terceiro.

E entre vocês, algum fã de erótico por aqui? Tem alguma experiência com os livros da Katy Evans? Deixa aqui nos comentários!