9 de mai de 2016

Resenha - Entre a Culpa e o Desejo

Livro: Entre a Culpa e o Desejo
Autora: Sarah Maclean
Editora: Gutenberg
Páginas: 304
Gênero: Romance de Época

Sinopse: "Seu próximo experimento científico? Entregar-se a um canalha! Lady Philippa Marbury não é como as jovens de sua época. A brilhante filha do marquês de Needham e Dolby se preocupa mais com seus livros e experimentos do que com vestidos e bailes. Para ela, um laboratório é muito mais atraente que uma proposta de casamento, e é por isso que, ao ser prometida a um noivo com quem não tem nada em comum, Pippa tem apenas duas semanas para empreender seu último experimento: descobrir todos os prazeres e todas as delícias da vida antes de passar o resto de seus dias ao lado de alguém que ela mal conhece. Como boa cientista que é, Pippa investiga a vida do homem que parece ser a cobaia ideal para realizar suas experiências: Sr. Cross, o atraente sócio do cassino mais famoso e cobiçado de Londres, um libertino cuja má-fama foi cuidadosamente construída sobre o vício e a devassidão. Um canalha perfeito para explorar suas fantasias e satisfazer sua curiosidade sem manchar sua reputação de moça de família. Mas o que Pippa não sabe é que, por baixo das aparências, Cross esconde segredos obscuros e que, ao receber a proposta da garota, ele está diante de uma oferta que pode destruir tudo aquilo que durante anos ele se esforçou para proteger. Terrivelmente tentado a se envolver nessa aventura que promete o mais puro prazer sem qualquer outra emoção, tudo o que Cross deseja é dar a Pippa exatamente o que ela quer, mas ele sabe que ninguém sai ileso do caminho da satisfação e, assim, Cross terá de usar cada miligrama de sua força de vontade para não perder o controle e resistir à tentação de entregar à jovem muito mais do que ela ousa imaginar."

Como subestimei Sarah Maclean. Retiro tudo que eu disse da minha primeira impressão dela. Enquanto que Entre o Amor e a Vingança ficou marcado de forma negativa para mim, Entre a Culpa e o Desejo  está entrando para os meus queridinhos de romance de época.

Lady Phillipa Marbury, irmã da Penélope (protagonista do Entre O Amor e a Vingança) é uma menina fora do padrão moldado da sua época. Inteligente, investigadora e verdadeira cientista, não quer surpresas no seu pós casamento. Ela não sabe o que esperar ou que irá preceder na sua noite de núpcias com Castleton e por isso resolve pedir ajuda ao Cross, um dos sócios do Anjo Caído e canalha. Cross, ou visconde de Baine, tem um passado atormentante onde não se acha digno da felicidade, um completo canalha e se recusa terminantemente a ajudá-la. Porém como Pippa é insistente ela fará de tudo para conseguir o que quer. E claro que no meio do caminho os dois acabarão se apaixonando, dando essa bela história.

Eu praticamente devorei o livro. Em menos de dois dias eu finalizei ele. É incrível como você pode perceber que seu gosto influencia na sua leitura. Para quem leu minha resenha do primeiro da série (que se encontra aqui) viu que não consegui me conectar na história. Aqui foi o oposto. Sarah Maclean fez ao mesmo tempo uma história com humor nos momentos certos, dramas quando precisava e sentimentos conflitantes adequadas ao enredo. Vi uma história mais fluída, mais densa e que te faz encarar de modo diferente nossos personagens principais.

Pippa tem uma personalidade forte, destemida, que lhe faz destacar de qualquer mocinha ou mulher daquela época. E isso grita nessa história. Porque Cross com sua cabeça dura de não se achar merecedor da sua paixão quase perder ela. E quem reverte essa situação toda é nossa lady. Apesar da segurança de ter um casamento mesmo que não seja por amor, apesar de nós leitores sabermos que ele a ama e em certos em momentos demonstra tudo ao contrário, ela vai em frente à luta. Uma das cenas que mais me emociona e é linda, é quando Cross invade o quarto dela e explica o seu passado. Ali forma uma cumplicidade de casal, uma relação maior que você depois quer martelar a cabeça dele por tomar muitas decisões erradas.

" Ele tinha se enganado, antes; esse era seu limite. Ela não aprenderia nada com Sally. Nem com Temple. Nem com Castleton, droga - não importava que ele fosse seu noivo. Cross não queria ninguém tocando nela. Não se ele não podia tocá-la. " pág. 118

Uma das coisas que gostei muito é do quanto os quatros sócios se ajudam e se intrometem nesse desenrolar do amor. Nesse aqui Temple estará bem presente, assim como em certo momentos Chase também coloca sua mão para ajudar. E são nesse momentos também que podemos esperar risadas na certa. Um outro ponto positivo é que a autora trabalha em desconstrução dos personagens: alguns momentos que são trágicos, vão moldar o que a pessoa será no futuro, porém para viver e ser feliz essas tragédias tem que ser superadas. Ou seja, sempre teremos trechos passados, passagens de momentos atrás para podermos entender o que leva certo personagem à ter certa característica emocional. E com isso também vemos  evolução deles.

Até o momento Sarah conseguiu me convencer à prosseguir a leitura da série. Cross foi um dos sócios que mais me chamou atenção desde seu aparecimento no primeiro livro, e descobrir que o segundo, e por enquanto o melhor, trata da felicidade dele foi incrível. Ainda mais quando soube que ele formaria par com a Philippa. Adorei mesmo e consegui me conectar na história de maneira bem satisfatória.

Um adendo é que a Gutenberg está arrasando na diagramação e no capricho com os livros do gênero. Em cada capítulo, além de um início mais caprichado, com letras diferenciadas, aquele cuidado com a diagramação, colocou detalhes que são característico de cada personagem como por exemplo a Pippa ter que usar óculos. O óculos está presente na capa e cada pausa mais longa durante a história. Isso com certeza deu charme e me deixou de sorriso aberto a cada folha.

O terceiro livro, Entre a Ruína e a Paixão já está comprado e com certeza está nas minhas metas de leituras. Toda a desconfiança gerada no enredo da Penélope foi embora e consegui enxergar tudo aquilo que elogiam a Sarah como escritora de romance de época

" 'Eu devia saber. Cavalheiros não voltam atrás.' 'Neste caso, canalhas também não.' " pág. 129

Quem ficou com vontade de ler Sarah Maclean? Ou já leu? Deixa nos comentários!

0 comentários :

Postar um comentário

Olá! Colocar um comentário me deixaria muito feliz pois saber sua opinião é essencial para o blog. Espero que tenha gostado e volte sempre :)